Noites de teatro na Mário de Andrade

Todos os dias, quem passar por volta das 19h em frente à Biblioteca Mario de Andrade se depara com uma fila enorme formada por adolescentes, trabalhadores do comércio, acadêmicos, descolados; em suma, todo o tipo de gente. Os frequentadores da biblioteca são um público para lá de heterogêneo e para quem ainda não sabe, de uns tempos para cá, anda acontecendo desde teatro até roda de samba à noite e nos fins de semana no endereço.

A história toda começou em dezembro de 2009 com a aprovação da lei 15052 que reorganizou as diretrizes da biblioteca e contribuiu para o aumento de atividades no recinto. No começo desse ano, a equipe administrativa da biblioteca encontrou em contato com a empresa social Clube do Mecenas e, já no início de maio, o Projeto Teatro na Mário foi inaugurado. Uma semana sim, outra não, às segundas-feiras acontece uma apresentação de teatro no local, sempre às 19h.

O programa apresenta um panorama teatral amplo, tanto na linguagem, quanto na escolha estética das peças, e as apresentações acontecem no auditório da biblioteca Mário de Andrade, com a retirada de ingressos uma hora antes do espetáculo.

O formato do palco, que não é bem um palco, limita as peças que são encenadas no local, mesmo assim, os espetáculos contam com 170 lugares disponíveis na plateia e a entrada é catraca livre. A curadoria das apresentações é feita por Lucas Lassen e Tatiana Bueno, os idealizadores do projeto e os fundadores do Clube do Mecenas.

Lucas Lassen acha importante diversificar as peças exibidas a fim de instruir o espectador sobre o que está sendo feito no universo teatral. “Teve comédia, teatro físico, nova dramaturgia, temática árabe… É importante mostrarmos um pouco de tudo”. O projeto trabalha com espetáculos nacionais e internacionais, como as companhias espanholas Sphota Teatro e Drume e a franco-brasileira Platform 88.

Esse ano, o projeto termina em novembro, mas com planos de voltar com força total em 2015. A proposta é aumentar a frequência das peças e criar um público fiel na segunda-feira. “Acho importante focar na abertura do espaço da biblioteca para outras frentes artísticas que não só a literária”, observa Lassen.

A Mário de Andrade intenciona trazer a população da cidade para dentro das bibliotecas, incentivando o contato com a cultura, tanto literária, quanto em outros formatos. Seja teatro, exibição de cinema, shows ou a leitura de um bom livro, bibliotecas públicas são sempre uma boa pedida. E o melhor de tudo, em São Paulo, é tudo grátis.

Confira a programação

Deixe uma resposta