Meu querido presidente Mujica

De acordo com as eleições do Uruguai, o presidente José Pepe Mujica não pode ser reeleito depois de 5 anos no cargo, não que ele quisesse tal coisa, como bem afirmou: “um presidente muito tempo no poder afasta-se do povo”, pensamento interessante, há de convir, para os governantes de cá. Pepe, como gosta de ser chamado, deixará saudades tanto no seu país como na timeline de muita gente. O presidente foi considerado o político mais popular, de maneira positiva, nas redes sociais.

Conhecido por medidas polêmicas como a legalização da maconha e do aborto em seu país, o presidente colocou o Uruguai de volta aos olhos do mundo. Não apenas pelas decisões políticas, como também pela sua filosofia de cidadão do povo, uma nova maneira de ser presidenciável. Mujica abriu as portas de sua modesta casa para jornalistas do mundo inteiro, lugar onde vive há mais de 30 anos, e disse que não havia nada de errado com o seu estilo de vida: “eu já vivia assim antes do governo e, claro, no governo é igual”, comenta.

Também fez sucesso pela eloquência de certos discursos, é possível citar a intervenção na ONU em 2013: “Sacrificamos os velhos deuses imateriais, e ocupamos o templo com o Deus Mercado.” Ou quando se chateava com alguma injustiça no futebol, no caso, a punição para Luis Suárez pela mordida em Chiellini, o presidente fez de imediato uma declaração para a FIFA em que, entre outras palavras, ouviu-se “filhos da puta”.

Porém, o que mais se destacou pelo mundo foi a medida de descriminalizar a maconha, o Uruguai é o pioneiro, países como Holanda já possuem uma política permissiva, porém de uso controlado, apenas o Uruguai falou em total legalização. O presidente não é usuário de maconha, mas apareceu em rede nacional ao lado de um jornalista fumando a substância. Em suas palavras: “Sempre houve uma opinião conservadora e reacionária que teve medo da mudança”. E acrescenta: “o lamentável é que um velho de quase 80 anos tem que intervir e propor uma abertura viável a um mundo conservador que dá vontade de chorar”.

Neste último domingo, rodeado pela mídia do mundo inteiro, Pepe foi de fusca azul votar pelo seu sucessor. Uma pena que não vimos nenhum exemplo nem próximo por aqui.

Deixe uma resposta