Horóscopo 2015

 “O primeiro semestre fará você encontrar o grande amor”. “Em agosto, novas oportunidades de trabalho surgirão, e sua carreira irá decolar”. E se você viver em uma ilha deserta na companhia de um coqueiro, ou tirar o ano para meditar na Índia? O horóscopo cria uma falsa ilusão de que, independente de nós mesmos, há um futuro nos esperando. E a necessidade humana de ter a segurança de saber o que virá faz com que crenças sejam criadas para preencher o vazio causado pelo desconhecido. Não somos todos iguais, cada um terá uma história de vida completamente diferente do outro, sempre. O horóscopo é mais um método de ilusão de que somos todos iguais e de que perseguimos os mesmos objetivos de uma sociedade burguesa capitalista.

Na psicologia, há o Efeito Barnum ou Forer que consiste em aceitar descrições de personalidades vagas e gerais como exatas e verdadeiras. Esse Efeito pode ser observado na astrologia, em que centenas de pessoas acreditam que as características de seu signo podem ser aplicadas a elas. Essa crença, de acordo com a psicologia, é facilitada pela dificuldade de autoconhecimento dos indivíduos, os quais projetam no inconsciente aquilo que desejam ser, e não o que realmente são.

A previsão do futuro de diferentes especialistas permeia sempre as mesmas questões: carreira profissional, filhos, casamento e amor. Trata-se de um resumo simplório da vida dos indivíduos. Para muitos, acontece na vida exatamente como ali se vê escrito, não porque o astrólogo seja poderoso, mas porque dessa maneira é moldada a sociedade, que pouco interesse tem em se arriscar a ser o que não é pré-estabelecido.

Não há estudos que comprovem que a posição dos astros ou o dia do nascimento de alguém possa ter influência em personalidades. Apesar de a astrologia ser uma cultura milenar, e de seu estudo ter contribuído para diversos descobrimentos no campo da astronomia, ciência que estuda os astros, não há comprovações científicas de sua veracidade. Muitos estudos creem que o indivíduo é capaz de até mesmo desenvolver características baseadas no horóscopo, se a sociedade em que convive possui ligações fortes com a astrologia.

Deve-se refletir sobre a influência dos horóscopos em um grupo social. Nota-se juízo de valor em algumas previsões. É positivo casar-se e ter filhos, ganhar dinheiro, entre outras conjecturas para o quadrimestre, mês, ano ou dia. Espera-se reproduzir o quadro da sociedade, já que não é fácil congregar tantos indivíduos nascidos na mesma época em um mesmo futuro. E o que se vê são futuros baseados no passado.

O que irá acontecer é o que desejamos e, ao menos, tentamos fazer com que aconteça. É importante não esquecermos as milhões de pessoas que não possuem a mesma oportunidade que a maioria. Aqueles que a sociedade exclui dificilmente terão a vida do horóscopo que, de certa maneira, massifica a sociedade, que assim deseja ser. O horóscopo de cada dia, como hoje é concebido em jornais e revistas, é uma visão deprimente do futuro da humanidade.

A previsão para 2015 está em branco para ser preenchida por cada um, da maneira mais singular possível. Os homens não possuem classificações, mas são livres para acreditarem no que quiserem. O texto propõe uma visão crítica do que em cada começo de ano a astrologia nos indica. Há muito mais na vida além dos 4 principais tópicos de um signo.

Deixe uma resposta