A política dá o tom da Virada Cultural

No último fim de semana, dias 21 e 22, aconteceu a Virada Cultural em São Paulo – evento cultural que existe desde 2005, baseado na Nuit Blanche de Paris. A Virada trouxe elementos diversos e uma boa pitada de política e ativismo na plateia. A diferença na edição de 2016 é que, dessa vez, o público não estava lá apenas para ouvir os shows.

Os ventos da atual tragédia política brasileira soprou na Virada Cultural de São Paulo. Em quase todos os shows houve manifestações políticas e gritos de Fora Temer, contra o atual governo federal interino. Cantores, como Criolo, exibiram no telão a famosa frase: Temer jamais! E foram acompanhados por toda a plateia, que também estava ali para protestar.

As viradas tornaram-se um ótimo exemplo da arte como propulsor de discussões políticas e culturais. A gratuidade do evento faz com que haja a união de todas as classes, cores e credos, tirando da marginalidade a periferia econômica do país, e trazendo à rua o verdadeiro Brasil diverso. Elba Ramalho se manifestou impressionada de como aquele público era o que verdadeiramente representava o país.

E foi esse público diverso que se manifestou contra o governo atual a cada oportunidade. É um Brasil cansado que se mostra energeticamente pronto para uma última batalha. A Virada de 2016 em São Paulo mostrou a virada do povo brasileiro.

Uma resposta para “A política dá o tom da Virada Cultural”

  1. Raquel disse:

    A política no país está mal mesmo.

Deixe uma resposta