A importância de um horizonte

Qual é a diferença que uma janela faz na qualidade de vida das pessoas? É estranho pensar em uma coisa tão simples e despercebida no cotidiano feito uma janela e sua importância, porém é fundamental esse questionamento quando se trata da boa saúde das nossas articulações em uma cidade cada vez mais emparedada.

Não me refiro às janelas funcionais, feitas apenas para circular o ar nos cômodos, falo daquelas que compõem o que há de especial em um espaço, daquelas que, quando a vista pede descanso, é pra lá que olhamos.

É inegável que um horizonte é mais agradável que a janela do vizinho, violenta e petulante, colocada diante da nossa como mais um olho a arruinar nossa intimidade. Mesmo os mais indiferentes conseguem notar a diferença de se ter um espaço para admirar a vida lá fora.

A empatia por janelas já foi percebida e justificada pelos chineses há milhares de anos e tornou-se um elemento importante na circulação das energias universais dentro de um espaço, de acordo com os ditames do Feng Shui.

Segundo essa corrente de pensamento, existem cinco animais sagrados com posições definidas que aprimoram a conexão entre pessoa e mundo. A tartaruga é posicionada atrás, a cobra no meio – mantém o diálogo com todos os outros animais-, o dragão de um lado e o tigre do outro e, à frente, sempre está a fênix.

A ave mitológica precisa de um horizonte para se expandir e por isso é importante que uma pessoa tenha uma paisagem para admirar. Não é preciso que ela seja bonita, mas deve haver alguma coisa de além nela, uma cena que possa, mesmo sem querer, sugerir uma perspectiva.

Os chineses acreditam que aquele que não tem acesso a uma janela adequada tem as chances de prosperidade diminuídas porque a fênix não tem o devido espaço para o voo.

Não é fácil descrever o que se articula dentro da gente perante uma janela, seja em um ônibus, no quarto ou no escritório. Parece acontece uma projeção de onde estamos para o resto do mundo, um sair de si.

A meu ver, uma das mais queridas e milenares formas de redenção.

Deixe uma resposta